17 de outubro de 2017


#Livros lidos: O doce sabor da justiça

0


Olá, queridos leitores!
Após 1 mês sem postar nada, devido a época turbulenta de provas, enfim estou de volta.
E dessa vez trouxe a resenha de mais um livro de uma autora parceira.
O livro é O doce sabor da justiça, da autora Paula Toyneti Benalia .
Esse livro faz parte de uma trilogia que começa co o livro O doce sabor da vingança.
Comecei a ler fora de ordem, mas no fim das contas não faz muita diferença porque são personagens distintos. Mas não posso esquecer de comentar que acabei lendo alguns spoilers do livro anterior.
Mas enfim, vamos a resenha.

Sinopse: 

Mike Heltimen é um advogado bem-sucedido. Para ele, a vida se resume a status social, dinheiro, festas e mulheres. Não consegue levar nada a sério, exceto o trabalho, em que defende grandes causas judiciais, com a certeza de sempre vencer.

Clarice Mariah não conhece limites. Acostumada a comprar tudo o que deseja, não consegue ter um relacionamento duradouro, já que para ela o que mais importa são suas preciosas bolsas. Porém, tudo se desnorteia quando ela perde os pais em um acidente, e, como única herdeira, se vê à frente de um império para comandar. E o tio dela entra com um pedido na Justiça para interditá-la, alegando que ela não tem condições de tomar conta dos bens da família.

Só que o advogado contratado pelo tio de Clarice é justamente Mike Heltimen. Em meio a tanto ódio e ofensas, nasce uma paixão avassaladora. Talvez Mike perceba que nem sempre ganhar é o melhor negócio, e Clarice descubra que há coisas mais valiosas do que suas bolsas.


Minhas impressões:

Confesso que ao começar a leitura, imaginei que fosse mais do mesmo. Sabe aqueles livros tipo os da Bella Andre!? Pois é, me enganei.
O livro é de romance, mas com uma pegada mais erótica, e achei isso bem legal.
Gostei bastante do personagem Mike, desde o início ele foi bastante sincero obre seus sentimentos e outras coisas.
Mas a personagem Clarice me irritou bastante. Por várias vezes pensei no quanto ela estava sendo infantil.
Mas enfim. Irei contar um pouco da estória desses dois personagens.
Mike e Clarice se odeiam desde a primeira vez em que se viram, o que já não é muito comum. Menos comum ainda foi que o Mike já levou um soco da Clarice.
"Felizmente" para os dois, eles são padrinhos das meninas dos seus amigos Julie e Joe.
E sempre quando se encontram, é motivo para brigarem. Sempre querem mostrar que são um melhor do que outro.
Mas dessa vez, a Julie que é amiga dos dois não aceita. E propõe que ou eles se acertam ou não vão ao aniversário das meninas.
Os dois acabam inventando que estão namorando. E a partir desse fato, acontecem várias coisas, várias confusões, e claro, muitas brigas. Afinal, os dois juntos são como uma bomba-relógio prestes a explodir.
Enfim. Como eu disse anteriormente, senti bastante raiva da personagem Clarice, e em algumas vezes achei o Mike um fofo. Fiquei pensando em vários momentos como que um casal tão diferente no fim poderia dar certo.
Sobre o livro, no geral, adorei a leitura. Foi tão fluída que nem vi o tempo passar.
São divididos em capítulos que ora são o Mike que narra e ora a Clarice. Achei bem legal.
Espero que gostem da recomendação. E até a próxima.




18 de setembro de 2017


#Entrevista: Luisa Soresini

10



Olá, queridos leitores!
Após um período bastante longo sem postar nada no blog, estou de volta. E espero que gostem da entrevista.
A entrevista de hoje é com a autora Luisa Soresini, do livro A Filha do Norte.


1 - Como surgiu a ideia do "A Filha do Norte"?

Surgiu da minha paixão por animes e monstros do terror clássico, como vampiros, lobisomens... E também do wicca, que é a religião que eu sigo ultimamente.


2 - Qual foi a parte mais difícil: começar ou terminar a estória?

Então, ainda bem que dessa vez não tive bloqueios, mas geralmente tem problemas com o final da história. São muitas pontas soltas para se encaixar, mas acho que consegui. 

3 - Quanto tempo demorou para escrever "A Filha do Norte"?

Foram 2,5 anos. 

4 - De onde vieram os personagens? Teve alguma ligação com alguém que você conhece?

Dos contos de terror clássico e de animes. Indiretamente tiveram ligação com algumas pessoas, como minha irmã, mas não gosto muito de usar alguém conhecido.

5 - Livros favoritos.

Percy Jackson e os olimpianos, O Medalhão de Isis, A Chama da Esperança, Entre vidas: Kiara, O despertar do Guardião, O quarto do sonho, Frankestein. 

6 - Atualmente, está cada vez mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos financeiros. Qual foi a sua maior dificuldade na publicação dos seus?

Acho que foi a parte financeira e buscar uma editora que fizesse o que anunciava. 

7 - Gosta de escrever em silêncio absoluto ou prefere escrever ouvindo música?

Em silêncio absoluto. 

8 - Conte-nos um pouco mais sobre "A filha do norte".

A Filha do Norte é um livro de lições, de superação. É você saber lidar com as diferenças do outro e sua aparência, além disso, é um livro que tem um protagonista empodeirada em vários aspectos, principalmente na maneira como ela vê os personagens do sexo masculino da história. 

9 - Mensagem aos leitores.

Obrigada por tudo, leitores, agradeço por me ouvirem até o final dessa entrevista e espero que gostem da minha história! Que o Norte sempre esteja com vocês. 

31 de julho de 2017


# Entrevista: Lucinei M. Campos

16


Olá, queridos leitores!
Depois de um descanso merecido voltei com uma entrevista incrível feita com o autor do livro Lavínia e a árvore dos tempos.
Espero que gostem!

1 - Como surgiu a ideia para o "Lavínia e a árvore dos tempos"?

A ideia veio de desejar brincar com a minha infância e misturar elementos do nosso folclore. Eu lembro que pensei primeiramente no Lorivaldo, a fada nordestina e rabugenta. Fiquei encantado com as possibilidades que ele tinha. Depois, o juntei com uma menina muito parecida comigo, quando mais novo.

2 - De onde vieram os personagens? Tem alguma ligação com alguém que você conhece?

Eu costumo dizer que são pedacinhos meus, mas com certeza gosto de pegar características de pessoas conhecidas ou não. No entanto, Lorivaldo sou eu quando rabugento; Lavínia sou eu mais jovem; e Léo, seu melhor amigo, bem, aquele tem todo o meu lado doidinho.

3 - Qual a parte mais difícil de escrever um livro: o começo ou o final?

Às vezes, é mesmo o meio. rs rs. Mas confesso que destas duas, o final costuma ser mais difícil.

4 - Quais seus livros e autores favoritos?

Meus autores favoritos são Douglas Adams, de O Guia do Mochileiro das Galáxias; Chuck Palahniuk, do Clube da Luta, entre outros. Também gosto muito da série Harry Potter, da J.K Rowling.

5 - Alguma vez já encontrou com alguém lendo o seu livro e que não seja um conhecido ou os parceiros literários?

Sim!!! É muito bom. Já assisti um debate sobre o meu livro e ninguém sabia que eu era o autor. Foi engraçado, pois alguns defendiam suas ideias dizendo o que eu queria dizer com a frase ou capítulo. Eu achei divertido e me mantive em silêncio.

6 - Gosta de escrever em silêncio absoluto ou tem alguma trilha sonora?

Para fugir do som externo, costumo colocar ColdPlay e deixar fluir. Mas geralmente amo o silêncio.

7 - Conte-nos um pouco mais sobre o "Lavínia e a árvore dos tempos".

Lavínia e a Árvore dos Tempos é uma série que este ano está completando três anos. Eu a criei afim de mudar um pouco a nossa concepção sobre os elementos naturais da fantasia. Temos um país enorme, por que ficamos presos à cultura de outros países se temos uma grande riqueza com elementos mitológicos também? A história traz uma menina de 9, quase 10 anos de idade, sem amigos e que ganha uma fada homem que detesta seres
humanos. Ele, no entanto, ao se transformar em uma pessoa para ficar com ela em seu mundo acaba virando um nordestino caricato e seu nome, assim como suas vestes, mudam. Laus vira Lorivaldo e sua varinha metade peixeira. Juntos, vão encontrar várias outras criaturas e começar uma aventura.

8 - Ao escrever o livro, quando ele está na fase de impressão, edição e arte final, é você que escolhe o que deseja e como deseja o seu livro?

Sim. Como autor independente eu decido tudo sobre ele: a capa, a diagramação e a parte interna. Vou escolhendo assim que acabo de escrever, o que não impede eventuais mudanças na arte ou no texto.


4 de julho de 2017


Resenha: Lavínia e a árvore dos tempos

19


Olá, queridos leitores!
Demorei para trazer uma nova resenha devido a época de provas pela qual eu passei.
Mas aqui estou eu com mais uma resenha de um livro nacional.
E a bola da vez é da Lavínia e a árvore dos tempos.
Do autor nacional Lucinei M. Campos.
Espero que gostem.

Sinopse:

Lavínia é uma menina de 9, quase 10 anos, um pouquinho diferente das outras de sua idade. Sem amigos na escola, sem um contato maior com seus pais, leva uma vida muito solitária para alguém tão pequeno. 
Seu único amigo, Leo, é quem divide com ela os anseios e questionamentos de sua infância, suas arquitetadas fugas dos Valentões e Marrentinhas que a perseguem na escola. Tudo muda quando recebe de presente uma fada, chamado Lorivaldo e que odeia seres humanos. 
Juntos, vão descobrir a magia escondida no mundo e os segredos da Árvore dos Tempos.

Minhas impressões:

De cara, podemos dizer que Lavínia é um livro infantil. É verdade, mas não podemos nos enganar, o livro tem uma escrita tão leve e prazerosa de ler  que, acho que não é tão infantil assim.
Lavínia é uma menina de 9, quase 10 anos, que sofre bullying na escola dos seus colegas de turma: valentões, marrentinhas, esportistas, nerds... ate aí, tudo bem. Toda escola tem suas panelinhas.
Mas alguns desses grupos perseguem a menina Lavínia. O que faz com que ela tente se esconder o tempo todo.
Lavínia tem apenas um amigo, Leo, que mora ao lado da sua casa. Fazem tudo juntos.
Em uma noite, Lavínia conhece Lorivaldo, que vai ser a sua fada por um ano. Lorivaldo foi julgado pelo "clã" todo poderoso das fadas, e essa foi a sua sentença(mesmo sabendo que ele detestava humanos). Enfim, a missão de Lorivaldo é tomar conta de Lavínia porque o nome dela apareceu na árvore dos tempos, e a menina é uma das pessoas que irá fazer uma grande diferença no mundo deles.
Após esse fato, Lavínia passa a correr grande perigo, conhece diversos personagens da nossa cultura e de outras também: curupira, titãs, goblins...
Eles passam por bastante coisas juntos, o que de certa forma foi bom para Lavínia por não ter nada de interessante acontecendo na sua vida, até o momento em que conheceu Lorivaldo, que mesmo sendo mau humorado, se tornou um amigo.
Enfim, indico essa leitura para quem está a procura de uma coisa mais leve, que fuja um pouco da zona de conforto.

23 de junho de 2017


Resenha: O beijo da morte

14

Olá, queridos leitores!
Hoje venho com a resenha de mais um livro nacional de um dos autores do blog. E dessa vez, a autora é a Judie Castilho, com o livro O beijo da morte , da trilogia Sob a luz das galáxias.
Espero que gostem!

Sinopse:

Uma romântica e perigosa história, vivida sob a luz das galáxias.
Uma jovem audaciosa, disposta a tudo por seu amor...
Um homem poderoso, capaz de matá-la só por amar-lhe...
Um povo cruel, que não tem limites em sua luta pelo poder...
A paz entre os planetas ameaçada, como nunca antes...
E o amor pode se tornar a arma perfeita para uma guerra intergaláctica.

Haysla e sua amiga, Violyt, estão iniciando uma nova fase em suas vidas.
Depois de passarem muitos anos na Terra, enfim chegou o dia pelo qual elas tanto esperaram! Elas estão completando 17 anos e ingressando na Academia Frantila, a escola mais disputada do universo.
Mas as coisas não serão fáceis para elas.
A União Universal e seus 16 planetas aliados acreditam estar cada vez mais unidos e poderosos. Porém, uma grande conspiração intergaláctica está se formando. Seus planetas inimigos não querem mais viver à margem do universo. Eles estão em busca de poder e de um elixir que lhes garanta uma longa vida.
Para complicar ainda mais as coisas, Haysla está vivendo um peculiar triângulo amoroso.
De um lado, um amor leve, divertido, tranquilo. Possível.
Com ele, Haysla tem a chance de uma vida segura e feliz.
De outro lado, um amor ardente, avassalador, compulsivo...
Mas impossível.
E para viver este amor, Haysla não temerá consequências... E pode colocar todos em sérios apuros.


Minhas impressões:

Haysla e Violyt são metade terráqueas e metade ordeanas. E são amigas desde sempre, fazem tudo juntas. Conseguem até se comunicar mentalmente (um poder compartilhado entre elas).
Elas moram em um planeta onde existem várias raças diferentes, inclusive mestiços como elas. E uma dessas raças, pode ser perigosa para eles ao entrar em contato com a pele ou com a saliva ou suor. E essa raça é a de um dos professores da Uni Uni onde Haysla e Violyt estudam.
Haysla é uma garota bastante autêntica, sem "papas na língua", linda, moderna, e bastante extrovertida, chamando sempre a atenção por onde passa.
Violyt já é bem tímida, tentando de alguma forma se "esconder".
O pai de Haysla é como se fosse um presidente da Galáxia onde eles moram.
E isso no decorrer do livro trará problemas.
Durante o livro, Haysla se vê apaixonada por Benjamin, mas não pode nem ao menos beijá-lo por ele possuir um veneno que pode vir a matá-la. E ao mesmo tempo em que isso acontece, ela está namorando com Keynel, tão lindo e forte(fiquei chateada com isso, mas tudo bem).
Por ser bastante extrovertida, Haysla faz algumas amizades além da de Keynel e Violyt.
No decorrer da estória podemos ver a luta de Haysla para não se apaixonar por Benjamin, o que se tornou impossível para ela, e convenhamos que para ele também.
Haysla também começa a "desenvolver" alguns poderes. E um deles é de poder conversar mentalmente e criar "fantasias mentais" para quem ela quiser (achei isso tão legal).
Sou meio que suspeita para falar sobre O beijo da morte, porque eu amo tudo que envolve fantasia. E com esse não foi diferente.
A Judie conseguiu criar um triângulo amoroso em que é quase impossível torcer por um só personagem.
Estou ansiosa pela continuação, e assim que eu adquirir, deixo a resenha aqui para que possam acompanhar o desenrolar dessa incrível estória.
Deixo aqui a minha indicação para que vocês possam ler e sofrer como eu sofri, com o amor de Haysla e Benjamin.
Para quem tiver interesse em adquirir o livro, pode entrar em contato  diretamente com a  autora e pedir autografado.
Por hoje é só. Espero que tenham gostado.

14 de junho de 2017


#Entrevista: Diego Martello

22



Olá, queridos leitores!
Após ter ficado duas semanas sem postar nada devido a semana de provas, hoje estou de volta, e com uma entrevista com o autor Diego Martello.  Autor do livro Uma vez você, uma vez eu.
Espero que gostem!

1 - Enquanto está escrevendo o livro, compartilha a estória com alguém para pedir conselhos?
Não. Eu prefiro praticamente terminar o livro, deixar a ideia bem estruturada antes de compartilhar com alguém. Porém, pretendo sempre ter a análise de alguém próximo antes de mostrar para alguma editora ou publicar. 
2 - Como surgiu a ideia para o "Uma vez você, uma vez eu" ?
Ela não surgiu por inteiro e a ideia mudou algumas vezes durante a escrita. Diria que a ideia se construiu aos poucos e ela mesmo tomou forma. Porém, considerando um início bem embrionário poderia considerar que foi o fato de tentar mostrar como nossa percepção pode mudar conforme os fatos também mudam em relação a tudo que me motivou a começar a escrever.
3 - De onde vieram os personagens? 
Boa pergunta. Realmente não faço a mínima ideia rs. Eles foram surgindo conforme o livro foi formando. Não houve qualquer planejamento. Para o próximo livro eu pretendo ter uma fase de planejamento um pouco maior que este meu primeiro. Vamos ver se me dedico mais a construção de personagens. 
4 -  Quanto tempo demorou para escrevê-lo? 
Esta é uma pergunta muito difícil para eu responder, e eu não sei o porque. Tentei responder para outras oportunidades de entrevista mas não tenho muito certo pois foram anotações de vários períodos de minha vida que foram tomando forma e virando um livro. Realmente tenho dificuldade em responder sobre o tempo de escrita deste livro. Para o meu segundo com certeza minha resposta será mais precisa. 
5 - Gosta de escrever em silêncio absoluto ou prefere escrever ouvindo música?
Silêncio absoluto. Eu consigo escrever com barulho, com música e com movimentos ao meu redor. Mas só consigo chegar em algumas conclusões quando eu estou em silêncio absoluto.
6 - Qual o seu livro e autor favorito?
O lobo da Estepe - Herman Hesse 
7 - Como começou o seu envolvimento com a escrita?
Naturalmente. Costumava viver fazendo anotações até que tudo criou forma de livro. 
8 - Qual o seu próximo projeto?


Ele esta acontecendo. Todo dia eu escrevo um pouco. Tenho a impressão que não irei lançar muitos livros, mas os que eu lançar tentarei fazer o meu melhor. A escrita é um hobby e não é minha atividade principal , então,muitas vezes eu priorizo outras coisas, infelizmente. Mas todo dia, pelo menos por alguns segundos (rs) eu tento ter contato com meu prazer de escrever. 

1 de junho de 2017


Resenha: Em busca da verdade

15



Olá, queridos leitores!
Hoje venho com mais um resenha de um livro nacional de uma das autoras parceiras do blog: Tânia Lopes.



Sinopse:

Juan passara horas, dias, naquele hospital. Quando pensou que as coisas começariam a clarear, foi golpeado pela notícia de que Fernanda estava com amnésia. Sua vida se transformou em um verdadeiro caos. Como prometera, faria de tudo para ter uma relação cordial com ela. O que poderia esperar de si próprio era sustentar, com todas as forças, uma distância emocional daquela mulher. Fernanda merecia, no mínimo, seu desprezo. Embarque nesta conturbada história de amor. Em busca da verdade vai revirar suas emoções.

Minhas impressões:

Em busca da verdade é um livro narrado pelo ponto de vista de dois personagens: Juan e Fernanda. Sempre alternando entre os dois. 
Juan e Fernanda são casados, mas por algum motivo que não é revelado logo no início, Juan acredita que Fernanda traiu a sua confiança.
E ele fica com bastante raiva de Fernanda, até o momento em que ela sofre um acidente de carro.
Juan passa horas no hospital ao lado de sua esposa que ainda está desacordada.
A maior surpresa, é que quando Fernanda acorda, ela não se lembra de nada, nem mesmo que é casada. E acredita que ainda tem 17 anos.
Ao acordar, todos dizem que ela é casada com Juan, mas não consegue se lembrar dele. E o pior, para tentar ficar longe dela, ele inventa uma desculpa e acaba indo viajar "a trabalho".
O maior medo de Juan é que Fernanda se lembre de tudo.
Com Juan longe, o melhor amigo de Juan, que também é o médico de Fernanda, acaba se aproximando bastante dela.
Fernanda por achar que tem alguma coisa de errado entre ela e Juan(que não está ao lado da esposa em uma situação crítica), acaba se deixando levar pelo sentimento. 
Não, ela não trai o marido. Mas com isso tudo acontecendo, Juan volta de sua viagem e decide que irá tentar reconquistar Fernanda, por mais que esteja magoado.
Confesso que esse livro foi uma grande surpresa, não imaginava um desfecho como o que esse livro teve. O tempo todo eu ficava tentando descobrir o que a Fernanda havia feito para deixar Juan tão magoado.
O que achei mais legal nesse livro, foi a forma como é contada.
Assim podemos acompanhar o ponto de vista dos dois. Mas mesmo assim, ainda não consegui descobrir o que poderia ter acontecido com os personagens.
Uma estória que te prende do início ao fim.
Podemos ver também através do ponto de vista dos dois personagens como uma relação, seja casamento ou não é difícil de ser mantida caso não tenha uma cooperação dos dois lados.
Enfim, para quem gosta de um pouco de suspense e um pouco de romance, esse é um ótimo livro.